Status do coração

Saudade.

Se hoje me perguntam se estou bem, e se sou sincera ou não, me custa não dizer que: “Ah, estou bem! Mas to com saudade.” ou “Ah, estou mal […] de tanta saudade.”. Basicamente um resumo…Mas é tão complicado ter que aprender com esse sentimento tão abstrato e as vezes tão concreto! Que pesa demais…

Tenho me esforçado para não sofrer com isso, e quando resolvo acompanhar a saudade invés de bater de frente, ela resolve me mostrar que posso sentir coisas boas e porque não aprender?! Tenho aprendido com a gratidão, gratidão de ser, de ter e estar…

Gratidão.

Gratidão pelos momentos dignos de serem lembrados, pelas circunstâncias que nos ensinam a levantar a cabeça para o alto mas também ajoelhar no chão, pelos detalhes que enriquecem a história. Pelo respirar sem dificuldade e pelo amor genuíno a ser colhido na estrada.

Um ano que só começa e que já não me traz tanta leveza, nem a certeza de nada. Mas que traz consigo a paz de estar no caminho certo por simplesmente estar.

Que o tempo continue ao nosso favor!

E “que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração […]” Colossenses 3:15

E ele foi…

E já faz tempo!

Até perdi o rumo da conversa, esqueci das palavras e sinceramente aprendi a não lidar com vários sentimentos.

Meu namorado está no intercâmbio há exatos 45 dias, parece que foi tudo bem durante a viagem e é realmente cansativa.

Vou contar uma das minhas maiores dificuldades fora a distância. Quando faltava um mês para ele ir nós ficamos com um frio na barriga, empolgados e eu! Insegura…

Esperando e sofrendo horrores por antecedência, por medo do desconhecido, pela insegurança de saber lidar ou não, ou até mesmo eu saber o que aconteceria…Tudo, humanamente, comum.

Então chegou o grande dia! Dia 22 de novembro, uma madrugada fresca e tão densa que meu coração teve um curto circuito e a única coisa que eu tinha certeza era que a distância iria aumentar dali uns minutos, chegamos no aeroporto e tudo que eu queria era poder ficar mais um pouco com ele pra não me arrepender ou me sentir culpada por não ter aproveitado, e chegando lá! Uma fila de despedida! Na hora não consegui ser egoísta, porque sabia que ele precisava de todo aquele apoio e que também poderia levar mais um pouca na bagagem das lembranças.

Foi tudo tão rápido, check-in, abraços, choros que de repente vi ele entrando na sala de embarque olhando pra trás e se despedindo mais uma vez…NESSA HORA caiu a ficha, e minha vontade mais que impulsiva queria correr pra ele de novo, dar um abraço e dizer um “até logo” bem reforçado… c a i u  a  f i c h a e desabei em choro, em angústia…Cheguei a conclusão de que entrei em estado de luto dali em diante! E parece exagero, mas compartilhando experiências com outros casais que passaram, ou estão passando pela mesma coisa, descobri que é realmente esta a palavra.

E como eu disse pra ele, foi um contraste enorme entre a saudade e a felicidade de ver ele embarcando em um sonho! E tão poucas pessoas ficariam felizes por mim, se fosse eu no lugar, se não fosse ele.

Ele foi…E não tinha caído ficha nem pra ele.

2 dias depois estávamos chorando ao telefone porque nos demos conta que é pouco tempo, mas é muito tempo.

Todo mundo precisa de um confidente

Eu estou lendo um livro que fala sobre comunicação  de casais. Talvez alguns pensem: “ai meu caneco, que melação!”. Não vamos por aí….

Eu comecei a pensar na dificuldade que temos de entender as pessoas e suas maneiras de se expressar. (Como é difícil!) E percebi isso porque vi como as pessoas não compreendem as minhas maneiras.

Nem todo mundo é rodeado de amigos, de parceiros e de pessoas que te querem por perto. Na maioria das vezes nós conseguimos casar rotinas. Rotina de trabalho, rotina de igreja, colégio, faculdade…E hoje eu me senti assim, meio desnecessária. Mas como é bom quando alguém fala que você é “muito importante”. Alguns talvez pensem que eu estou numa crise social, acredito que não. É só uma bela fase de auto análise, mas o  que me fez pensar na necessidade de um confidente.

Em relacionamentos, para quem está acostumado com histórias encantadoras de almas gêmeas, este não é o caso. Nem todo mundo sabe como se relacionar, como namorar, como casar, como ser amigo (a). A gente acaba aprendendo e ensinando como somos para o outro. O meu caso é que eu fiquei pedindo para Deus com uma sede indescritível por uma amizade que suprisse minha necessidade de ser eu, e a pessoa ser ela, e que isso fosse o suficiente. E conforme fui sendo lapidada pela minha própria mente, cheguei em uma conclusão: seja a amiga/namorada/esposa/confidente que tanto quer para si. Você se tornará necessário e significativo na vida de alguém porque simplesmente se importa. Claro que a intuição não é gerar nenhuma atitude mecânica mas sim desenvolver o interesse real nas pessoas, principalmente por quem amamos. A ideia não é substituir Deus, ou que seja um psicólogo, a ideia é ser mais humano.

E quando se trata de relacionamentos, não somos craques, não existem receitas prontas! Muito menos pessoas com “manual de instruções” mas temos potencial para aprendemos muito em como ser, em como estar, e como se relacionar.

Ser confidente não tem segredo, só tem a pessoa certa… você.

Austrália

Estou aqui novamente para iniciar um processo de “meu querido diário”. Não sei onde isso vai parar… hahaha

Bem, eu já namoro há um ano e meio. E desde o começo do namoro eu e ele sabemos dos sonhos de cada um, dentre eles, o meu  de ir para Hillsong College em Sidney, fazer o curso de “Adoração e Música”. O dele de fazer intercâmbio estudar inglês. Inicialmente, os planos dele estavam bem perto (até ele me conhecer), ai com o tempo o intercâmbio foi ficando de lado devido a certas circunstâncias > euzinha <. Pois bem! O que no fim das contas aconteceu é que quem vai para a Austrália é ele! Sim! 😀

Estou muito feliz por ele! Lógico. O que tem desafiado nós dois como casal é: “O que a gente vai fazer?” “Vamos continuar namorando…” “O que fazer em quanto ele estiver lá?” e etc…

Para quem está se perguntando quanto tempo ele vai ficar lá, são 7 meses, 6 de estudo e 1 de férias. Obviamente, para alguns isso não é nada, super suportável, para outros é melhor terminar e deixar o outro “viver esta experiência intensamente!”. A questão é: Qual é o nosso propósito com o outro?

Bem, conversamos sobre isso. Nem sempre foi sucesso porque geralmente eu me sentia meio mal… mas isso foi quando eu não sabia lidar com os meus sentimentos. Até hoje eu não sei muito mas… me coloquei no lugar dele. E como essa experiência pode ser valiosa em meio a tantos desafios.

O importante é descobrir quem ele é para mim, e no que isso implica. Por exemplo: Eu sei que relacionamento, quando se trata de seres humanos, é algo extremamente delicado e sensível. Pode ser muito bom, pode ser muito ruim. Em todo caso, tudo depende dos envolvidos. E obviamente os seus propósitos de vida! Um deles foi entender que Deus guardou alguém especialmente para mim, um presente, e que com esse presente eu quero viver para o resto da minha vida (muito tempo né? eu sei. ) mas que eu encontrei ele. E sei que fazendo parte dos planos dEle, tudo terá o seu tempo…

E falando em tempo, esse será o tempo dele! Tempo de crescimento, tempo de viver um sonho! Tempo de aprender a cozinhar, lavar, passar e falar no outro lado do mundo. Crescendo na dependência de Deus. E este será o meu tempo: tempo de investir, de conquistar alguns dos meus sonhos. Cuidar das pessoas e ser cuidada por elas, crescendo cada vez mais na dependência de Deus.

A ideia é compartilhar essa experiência, que apesar de ser do meu namorado, é uma experiência que vamos compartilhar (e ele não é muito de escrever)! Vai ter vezes que não vai ser fácil,  mas também sei que Deus cuida disso tudo! Com um imenso propósito que só Ele tem.

O importante é aprender a confiar.

Olá mundo!

Bem vindos aos meus pensamentos! Gostaria de dizer quem eu sou mas não sou boa com essas coisas. Este espaço é para a sinceridade e cautela.

Gosto das palavras. Quando bem encaixadas, elas me representam bem.

Quando se trata de mim, Minha vida é um emaranhado de fios então provavelmente aqui terá alguns vários aspectos de mim, e de como estou.

Sou Cristã (das assumidas mesmo). Perfeição não é comigo, tá mais pra desajeitada. Mas estou em busca de, todos os dias ser um pouco mais parecida com Aquele me amou primeiro. Vou gostar de falar da imensidão do Seu amor e das profundezas da Sua graça. Falar também dos meus desafios, das minhas frustrações, dos meus sentimentos, de experiências que quero e vou viver. Enfim, né?

Minha família, um tesouro que eu tenho aprendido a cuidar, a valorizar! Estar presente com qualidade, procurando mais ajudar do que piorar as coisas. Amar sob todas as circuntâncias.

Hoje eu namoro com alguém que foi cuidado divinamente para mim. Alguém que eu tenho aprendido como é amar e como é ser agradecida. Ele me fez desencantar dos contos de fadas e de filmes de amor juvenil, sei que eles ficam no chinelo.  O mundo é bem mais concreto e difícil, bem mais colorido e intenso de viver…Quem sabe um assunto por aqui, algum dia, não seja casamento? hahaha

Bom, para o começo acho que isso basta!